MOVIMENTO VIDA ACIMA DE TUDO

Assine, divulgue & participe você também desta Petição Pública - e Movimentação Coletiva em Defesa da Vida:



Em poucos minutos, um grupo de homens armados com pedaços de pau espancou até a morte o jovem congolês Moïse Mugenyi Kabagambe, 24 anos, no dia 24 de janeiro, no Rio de Janeiro. Moïse, um jovem negro, fugiu da morte em seu país para ser brutalmente assassinado no Brasil.


Uma barbárie que se repete há décadas no estado fluminense e em várias partes do país. Mais uma tragédia humana é provocada pelo racismo estrutural, a xenofobia, o poder paralelo da milícia assassina e a necropolítica reinante.


Até quando estaremos submetidos a uma brutalidade que nos desumaniza?


O jovem africano, que chegou ao Rio adolescente, foi morto num quiosque, na orla da Barra da Tijuca, e seu espancamento foi filmado por câmeras de segurança.


Não se tem certeza do que provocou o desentendimento entre a vítima e seus algozes, mas nada, absolutamente nada, pode justificar as cenas de terror que o Brasil viu pela televisão, repetidas vezes.


Exigimos esclarecimentos e ações efetivas - investigação, julgamento, punição dos culpados - das autoridades de todas as esferas de poder.


A violência da qual Moïse é a vítima mais recente arrasta uma longa lista de assassinatos, que inclui o da vereadora Marielle Franco, morta a tiros no Rio por milicianos, em 2018. Até hoje não se sabe quem foi o mandante do crime.


A esses assassinatos brutais soma-se uma estatística tenebrosa, que mostra o número de jovens e crianças negras, moradores de comunidades periféricas e favelas exterminadas pelo poder paralelo das milícias cariocas, racistas e impunes.

Moïse talvez não soubesse, mas o Brasil é marcado por séculos de atrocidades. Mais de 70% das pessoas assassinadas em 2021 são negras. Somos o quinto país em número de feminicídios e o primeiro em número de assassinatos de homossexuais e pessoas trans.


Fosse Moïse um homem branco a história teria sido a mesma?


Este manifesto expressa nossa indignação e repulsa pelo que há de pior no ambiente social brasileiro, estimulado pela necropolítica vigente. Em um país que assiste ao esfacelamento de suas instituições, com um governo que despreza a defesa dos direitos humanos, faz pouco caso das milhares de vida perdidas na pandemia e tem como mote a destruição dos marcos civilizatórios, a violência torna-se cotidiana e banal.


Até quando encarnaremos o coração das trevas?

Contra a barbárie e a impunidade. Exigimos justiça!


Já assinaram esse manifesto:


Dom Mauro Morelli

Padre Julio Lancelloti

Leonardo Boff

Babalaô Ivanir dos Santos

Rabino Nilton Bonder

Pastor Henrique Vieira

Padre Ricardo Rezende

Chico Buarque

Zélia Duncan

Itamar Vieira Junior

Carol Proner ABJD

Tom Farias

Marcia Miranda (CDDH de Petrópolis)

Gisele Cittadino ABJD

Nilmario Miranda

Paulo Vanucci

Bete Mendes

Gisele Ricombom ABJD

Paulo Lins

Cristina Pereira

Osmar Prado

Antonio Grassi

Eric Nepomuceno

Hildegard Angel

Silvio Tendler

Wagner Tiso

Eliane Lobato

Regina Zappa

Adair Rocha

José Bulcão

Daniel Souza


Contamos com seu apoio, assinando e divulgando essa Petição Pública: https://www.change.org/p/sociedade-civil-em-defesa-da-vida-1e07a07e-d571-4df5-bb74-ca68589d1282