METAVERSO: FUTURO DA INERNET!



Será?

Comecemos pela leitura do livro -

https://www.amazon.com.br/Incr%C3%ADvel-Metaverso-

Internet-agr%C3%ADcola-metaverse-

ebook/dp/B09L7WD8N6

É de graça!

Afinal, o metaverso será o “Admirável Mundo Novo” ou a

Ilha de Atlântida surgindo do fundo dos oceanos?

As pessoas não sabiam que a terra era redonda e que

girava. Mas alguém foi lá a provou.

Afinal, que é de fato METAVERSO?

O fato é que Mark Zuckenberg vislumbrou algo potente e

mudou o nome da sua empresa para Meta. Ele quer

dissociar a empresa da rede social Facebook e focar no

Meta(verso).

Metaverso é a Internet 3.0, segundo especialistas. É o

futuro da Internet.

Metaverso é um mundo digital. Não é o mundo real. No

metaverso haverá uma identidade digital que não será a

nossa RG.

Não é uma conta digital, pois isto já existe. As contas em

redes digitais é uma marca individual de cada usuário. Mas

elas estão vinculadas e registradas às pessoas.

A identidade de pessoa natural é o seu número do Registro

Geral – RG; o Cadastro de Pessoa Física – CPF.


No METAVERSO, haverá um número que será nossa

identidade digital.

É claro que continuamos a nos alimentar e dormir fora do

Metaverso; pode ser provocativo, mas é o real.

Contudo, o metaverso é um espaço e um tempo virtual,

construído sobre um mundo digital.

Ou seja, o metaverso é um mundo digital, no qual seres

humanos participam e “vivem” como identidades digitais.


VIVER NUM MUNDO DIGITAL?

É a pergunta que não quer calar. Há várias formas que os seres

humanos escolhem para (como) viver.

No metaverso, as escolhas seriam totalmente livres.

Sim, mas não podemos esquecer que para estarem no metaverso

precisamos de algum hardware, alguma plataforma - como nos

jogos, que são uma antessala do metaverso, segundo alguns

estudiosos.

Ainda não sabemos dos custos. Seu acesso não será para todos.

Depois de alcançado o acesso, com gastos, a pessoa poderá ser

considerada livre, ou melhor, com a identidade digital haverá um ser

digital totalmente livre.

E haveria a possibilidade de um ser humano ter mais do que uma

identidade digital, pois cada um delas serviria para formaria sua

“tribo”, para trabalhar suas habilidades, desenvolver seus

interesses.

O metaverso geraria um novo modo de produção. Hoje em dia

estamos no modo de produção capitalista, sendo que alguns falam

de um mundo líquido, outros de um mundo pós-moderno. Mas este

é real deste Planeta. O metaverso será real para a identidade

digital.


De que forma alguma atividade no (do) metaverso pode rentabilizar,

monetizar?

Como tratar os NFTs, a nova moeda do mundo digital, ou seja,

tokens não fungíveis? Se não são fungíveis, o que fazer com eles,

como “funcionarão”?

Para especialistas pode ser fácil; mas para os leigos parece uma

Idade Média de crenças e de pouca ciência. Amanhã teremos, com

certeza, outro Galileu Galilei, Giordano Bruno, Newton e outras

feras.

Aqui, esboçamos questões acerca do que se compreende ou que

nós chegamos a compreender do que seja o metaverso, para que

com sabedoria, sem sectarismo e sem preconceitos se inicie um

frutífero debate.


*DRA. ROSÂNGELA BENETTI ALMEIDA é especialista em

Direito Digital.