Entidades projetam crescimento de 20% na contratação de temporários no RS no final do ano

A contratação de trabalhadores temporários deve se intensificar na reta final deste ano no Rio Grande do Sul. Com tom otimista, algumas entidades setoriais projetam avanço de cerca de 20% nas admissões nesse regime de trabalho no último trimestre do ano em relação ao mesmo período de 2020. Aumento no número de pessoas vacinadas contra a covid-19, maior circulação e comparação com uma base menor no ano anterior ajudam a explicar o avanço, segundo especialistas. O ritmo de contratações deve ganhar corpo entre outubro e novembro.

Somente para o varejo, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê 7,1 mil vagas para o período do Natal no Estado — quinto entre as unidades da federação pesquisadas. No país, a CNC projeta criação de 94,2 mil postos — maior montante em oito anos e superior aos 68,3 mil registrados em 2020. O presidente da CNC, José Roberto Tadros, avalia que “os estabelecimentos comerciais estão voltando a receber um fluxo maior de consumidores”, o que fortalece as vendas.

A Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) projeta a criação de 565 mil vagas temporárias de outubro a dezembro em todo o país. O montante representa avanço de 20% ante o mesmo período de 2020, quando foram abertas 471.300 vagas. A entidade não tem dados locais, mas a diretora da Asserttem no Rio Grande do Sul e da GP Temporários, Graziele Pachla, avalia que o volume de contratação de temporários no RS deve ocorrer na esteira do movimento nacional. — O movimento no Estado deve acompanhar esses 20%. Isso na projeção de agora, mas sou bastante otimista. Se a pandemia de covid continuar nos dando uma trégua, creio que esse crescimento vai melhorar — estima Graziele.

A projeção do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas) ocorre no mesmo sentido. O presidente da entidade, Paulo Kruse, estima crescimento de 22% na contratação de temporários em relação a 2020 e de 10% ante 2019 — período pré-pandemia. Além da retomada da economia, quadros menores de funcionários em razão da pandemia também influenciam nesse processo, segundo o dirigente.

— Dezembro representa um movimento duas vezes maior do que o de um mês normal. Além disso, em janeiro e fevereiro, se inicia o período de férias dos funcionários ativos. Então, por isso nós estamos com uma expectativa bem interessante de contratações temporárias para o natal — explica Kruse.

O presidente Sindilojas cita os segmentos de vestuário, de calçados e atacadista entre os líderes nas admissões nesse tipo de regime nos setores de comércio e de serviços.

O economista-chefe da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Porto Alegre, Oscar Frank, também projeta avanço positivo da mão de obra temporária no Estado no fim do ano. Ao elencar dois pontos que abrem mais espaço para esse tipo de contratação, o economista cita as facilidades presentes nesse modelo:

— A primeira delas é a flexibilidade no prazo. Isso é bem importante diante das incertezas que nós carregamos ainda em relação ao futuro. O segundo ponto é que é uma forma rápida e eficaz de contratar pessoal e atender às demandas de mercado.

Frank estima que segmentos da área de serviços mais afetados pelo distanciamento social, como os de salão de beleza, hotelaria e turismo, terão destaque na busca por mão de obra.

Historicamente, o setor de supermercado é um dos protagonistas nas contratações de temporários nessa época do ano. Isso costuma ocorrer em razão do planejamento para suprir o movimento maior em lojas do Litoral na temporada de verão. Neste ano, o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo, estima que o número de temporários deve ficar estável em relação ao ano passado. Segundo Longo, isso ocorre porque o setor se manteve aquecido durante o ano, o que não provocou muitos desligamentos no pós-temporada. O maior número de pessoas morando no Litoral também contribui para esse movimento, segundo o dirigente:

— As pessoas estão morando na praia. A prestação de serviço e a exigência de qualificação exigem cada vez mais mão de obra.

Longo destaca que a abertura de novas lojas no Litoral Norte aumenta as chances de efetivação de temporários nesta temporada.


Diferenciais na hora de concorrer

O serviço temporário muitas vezes vai além de uma solução emergencial. Algumas pessoas enxergam nesse modelo a porta de entrada para a primeira vaga fixa ou a nova chance de se recolocar no mercado de trabalho. Em época de crise econômica e desemprego alto, a disputa por postos de trabalho fica mais acirrada.

O CEO da startup Meu Entrevistador, Fábio Cassettari, afirma que citar a carreira profissional e as habilidades com clareza e sem se alongar muito ajuda a passar uma boa impressão na hora da seleção.

— Se você tem clareza e é bem sucinto e consegue falar de você em três, cinco minutos, isso já vai te ajudar bastante dentro de uma entrevista de emprego. Outro ponto bem importante é ter um currículo adequado para cada vaga e oportunidade que vai disputar — explica Cassettari. Com a pandemia, o número de entrevistas em ambientes online cresceu. Cassettari afirma que o candidato deve manter a mesma postura e comportamento nesse tipo de seleção, reforçando os cuidados para manter uma boa conexão com o entrevistador.

Em relação aos profissionais que tentam estender a permanência na empresa com a efetivação, o especialista afirma que apenas cumprir o que foi combinado com o empregador já ajuda nesse processo. Isso parece básico, mas é importante, porque muitos funcionários acabam se atrapalhando ao tentar fazer outras funções para impressionar a empresa, o que compromete a atuação, segundo Cassettari.

— Muitos profissionais querem mostrar muitas coisas e acabam não fazendo o básico e aquilo para o que foram contratados — pontua Cassettari.


Dicas para se destacar na seleção


  • Seja sucinto, claro e objetivo na hora da entrevista. Falar sobre você mesmo, contextualizando toda sua trajetória profissional e habilidades em um intervalo de tempo menor ajuda na hora da seleção

  • Elabore um currículo adequado para cada vaga que vá disputar. Destaque as características que estão de acordo com o funcionamento e a conduta da empresa

  • Em entrevistas online, prepare o ambiente e o vestuário que será usado na entrevista com antecedência. Faça uma conferência nos equipamentos usados na teleconferência para garantir estabilidade na conversa virtual

  • Tenha cautela em conteúdos postados nas redes sociais. A postura nesses meios costuma ser encarada pelos empregadores como uma extensão do currículo. Antes de disputar uma vaga, cheque suas redes sociais e avalie se os conteúdos podem interferir no processo


Dicas para permanecer no cargo


  • Entregue o trabalho que foi combinado com o empregador. Muitas vezes, ao tentar desempenhar outras funções, o funcionário acaba prejudicando a atuação no emprego. Foque em fazer o trabalho para o q