Capão da Canoa quer reconhecimento para além do mar

Revitalização de trecho junto à Lagoa dos Quadros é o destaque nesta temporada

A prefeitura de Capão da Canoa, no Litoral Norte, decidiu investir também nos "fundos da praia". Chegou a vez do Parque Náutico, junto à Lagoa dos Quadros, ser o destaque da praia que prevê receber até 800 mil pessoas entre os feriados de final de ano. O banho na lagoa deverá ser liberado durante o verão, já que o local tem previsão de ganhar uma guarita para receber os guarda-vidas encaminhados pelo Estado durante a temporada. Até lá, vale apenas sentar-se no gramado instalado à beira da prainha de água doce para contemplar o pôr do sol sobre as montanhas do outro lado da BR-101.

Localizado na Estrada do Mar, no sentido Torres-Capão da Canoa, o parque ficou abandonado por quase duas décadas, quando serviu apenas para descarte irregular de lixo. Desde o segundo semestre de 2019, a prefeitura de Capão da Canoa vem investindo no local. A entrega parcial à população ocorreu em 2020. Neste ano, porém, ele permaneceu fechado por conta da pandemia. O espaço voltou a receber visitantes a partir deste segundo semestre.

Com cinco hectares e totalmente cercada, a área tem um calçadão de quase dois quilômetros até as margens da prainha. O trapiche, com deque e mirante coberto, que avança sobre a lagoa, facilita a vida dos amantes dos esportes náuticos — o local tem sinalização para a circulação de motos aquáticas, canoas e pranchões. Por enquanto, ele fica aberto gratuitamente de quinta a domingo, das 13h às 19h, mas a prefeitura prevê ampliar nas próximas semanas a liberação para entrada também pela manhã, a pedido dos visitantes. Na alta temporada, o parque deverá ter cinco food trucks.


Segundo o secretário de Turismo, Indústria e Comércio da cidade, Itamar Trombetta, ainda será construído um estacionamento com piso de concreto para 350 veículos. Por enquanto, o local oferece espaço improvisado para 110 carros.

A prefeitura de Capão da Canoa ainda foi pega de surpresa pela violenta ressaca no final de semana de 16 e 17 de outubro, quando parte do calçadão da beira-mar foi destruído pela força das águas. Assim como no ano passado, quando quatro ressacas arrancaram parte das pedras portuguesas do passeio, desta vez, a administração municipal prevê desembolsar algo em torno de R$ 80 mil para reformar às pressas o local até 15 de novembro. As passarelas ao longo da costa de Capão da Canoa começaram a ganhar manutenção, pois algumas também acabaram destruídas pela ressaca.

Xangri-Lá

Nesta semana, a prefeitura de Xangri-Lá lançou licitação para a compra de pisos intertravados de concreto para serem instalados nas ruas que apresentam maior precariedade. O prefeito, Celso Bassani, promete entregar algumas até o verão, mas não fala em números. Foi aberto também um processo licitatório para limpeza das ruas da cidade.

Sobre a precariedade da pavimentação na Avenida Beira-Mar, no trecho entre as ruas Rio Jacuí e Rio dos Índios, com dez quadras onde não há asfalto e sobram buracos, Bassani informa que a via receberá manutenção para ficar em condições de trafegabilidade. Por enquanto, não há previsão de pavimentação da avenida, pois existe um projeto de construção de um calçadão com seis quilômetros de extensão na via, no mesmo estilo de Atlântida, para 2023 e a instalação de guaritas com design mais moderno e feitas em concreto.

Sobre eventos, o prefeito anunciou a confirmação do Paleta Atlântida, um tradicional churrasco à beira-mar em Atlântida, para 23 de janeiro de 2022.


Atlântida Sul - Osório

A prefeitura de Osório deve iniciar o serviço de limpeza das ruas do município nos próximos dias. Uma obra de drenagem está em andamento na Avenida Atlântida. Nas próximas semanas, serão pintados os quiosques e espaços públicos, instaladas novas lixeiras e placas informativas. Já o calçadão passará por manutenção e ainda será instalado um balanço turístico no trecho.



1 visualização0 comentário