Arroio do Sal poderá dobrar de tamanho nos próximos anos com a instalação dos portos

A Serra e Arroio do Sal sempre tiveram uma ligação forte, mas que se resumia centralmente aos meses de novembro a março. Essa relação está prestes a mudar, e seria um grande salto no lado econômico. Dois projetos de portos estão quase saindo do papel: o Meridional e o Litoral Norte. A distância entre esses dois locais não ultrapassa cinco quilômetros, mas os dois empreendimentos geram grandes expectativas e muita especulação.

Os terrenos no município do Litoral Norte estão sofrendo forte valorização. O preço médio do hectare saiu de uma média próxima dos R$ 40 mil para R$ 200 mil. Empresas estão interessadas em se aproximar desses portos. — Claro que tem muita especulação. Mas muitas empresas consistentes, até da Serra, nos procuram para pegar informações e nós levamos para visitar as áreas — relata Affonso Flávio Angst, o Bolão, prefeito de Arroio do Sal.

O principal destino dos serranos no verão tem como um exemplo a cidade de Itapoá, no litoral de Santa Catarina. Com tamanhos parecidos, o município catarinense também recebeu equipamentos portuários e viu dobrar o número de moradores, como também disparar o faturamento anual – de R$ 30 milhões para R$ 130 milhões. Nesse momento, segundo estimativa do IBGE, Arroio do Sal tem pouco mais de 10 mil habitantes. Mas, segundo Bolão, já se tem 15 mil cartões SUS no município. Considerando isso, a perspectiva indica que dobrará no número de habitantes caso os dois portos realmente sejam construídos. — Nós vamos querer a questão compensatória. O que essas empresas vão oferecer em troca dos portos? O município vai trabalhar na questão ambiental, e o que teremos em contrapartida para essas áreas que irão ter impactos? Em cima do novo Plano Diretor, vamos criar situações para definir as melhorias aqui — explica Luiz Carlos Schmitt, secretário municipal do Meio Ambiente.

Há muitas dúvidas para serem sanadas. Os dois empreendimentos estão com projetos bem encaminhados, mas ainda dependem de muitas liberações, e todas são nas esferas federais. Por isso, há cautela, visto que o município não irá arbitrar em quase nada.

O novo Plano Diretor está sendo adaptado para receber esse tipo de empreendimento, mas a primeira certeza é de que os caminhões pesados não irão transitar no município. O segundo ponto é que esses dois equipamentos não irão impossibilitar o uso das faixas de areia das praias de Rondinha, exceto, é lógico, nas pistas e trechos que conduzirão até a área portuária que deverá ficar a cerca de 2,5 quilômetros da costa.


Porto Meridional deve ser apresentado em agosto

A construção de um porto no Litoral Norte é cogitada desde 1826, ainda durante o Império de D. Pedro I. No entanto, como a economia do Sul era baseada no charque, o porto foi para Rio Grande. Passados quase 200 anos, Arroio do Sal entrou no foco do MobiCaxias e ressurgiu a ideia de implantar esse equipamento mais próximo da Serra. Para executar e montar o projeto, a DTA Engenharia foi contatada e começou a viabilizar essa ideia.

— Fomos consultados há um ano pelo grupo empreendedor no sentido de fazer os estudos para verificar a viabilidade. Os primeiros foram favoráveis, e agora aprimoramos para apresentar o plano de negócios — explica João Acácio Gomes de Oliveira Neto, presidente da DTA.


Leia mais em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/pioneiro/economia/noticia/2021/08/arroio-do-sal-podera-dobrar-de-tamanho-nos-proximos-anos-com-a-instalacao-dos-portos-ckrtsnz0s002s0193gyx831t3.html


4 visualizações0 comentário